doces e chocolates mexicanos

Chocolate Mexicano: Melhores Marcas

O México é o país de origem do chocolate. Segundo nos conta a história, foi lá que pela primeira vez essa iguaria foi apreciada, mas ainda na forma líquida como bebida de chocolate.

Neste post você vai descobrir as melhores marcas de chocolate mexicano e conhecer mais sobre a história do chocolate.

 

Chocolates da Nestlé no México

Assim como em boa parte dos países da América do Sul, a Nestlé produz alguns chocolates exclusivos no México. Todos são de fácil acesso e podem ser encontrados em qualquer supermercado. Confira quais são os mais famosos:

 

Carlos V

O chocolate Carlos V está há mais de 70 anos no mercado e é uma referência entre os mexicanos. É disponibilizado em sete variações.

 

Freskas

O chocolate Freskas são bolinhas de caramelo em sabores e cores variadas, cobertas por chocolate ao leite. É muito popular no país, principalmente entre as crianças.

 

Larín

A barra Larín é recheada da Nestlé no país e é disponibilizada nas versões avelãs, nozes, amêndoas e também a sem açúcar.

 

Almon Ris

O chocolate Almon Ris é um delicioso caramelo com massa folhada e cobertura com sabor de chocolate. O recheio é repleto de amendoim. Este chocolate é 100% feito no país e faz parte da história de todo mexicano.

 

Chocolate artesanal no México

A tradição dos chocolates artesanais no México é muito grande e o país conta com diversas marcas premiadas em concursos internacionais. Conheça a seguir algumas delas:

 

Wolter

A Wolter Chocolate foi fundada em 1958 pelo imigrante alemão Otto Wolter e é uma das mais tradicionais fábricas de chocolates da região de Tabasco, a maior produtora de cacau no país.

A Wolter conta com produção própria de cacau, plantados em uma área de 26 hectares.  

A marca produz seus chocolates puros com processos tradicionais nas versões amargo, sem açúcar, ao leite, branco e a coleção Memórias Mexicanas, com chocolates que levam avelãs, nozes, pistaches, amêndoas e outros ingredientes em sua composição.

A marca tem loja virtual, mas infelizmente a entrega é somente para o México. Para quem visitar o país, são diversos endereços na região de Tabasco e também em outros estados.

Na Cidade do México, a Wolter está presente também no Museu do Chocolate.

 

Ta.cho

A TA.CHO é uma marca que produz chocolates cuidando desde a escolha dos grãos de cacau até a fabricação de tabletes com sabores e texturas inesquecíveis.

A empresa trabalha com cacau fino com o aroma nativo de Soconusco, o berço do primeiro cacau cultivado no mundo e o da elaboração do chocolate original, a bebida que era considerada para os deuses.

Todos os tabletes de chocolate da TA.CHO são artesanais, feitos 100% com manufatura manual.

As barras não são vendidas no Brasil.

 

Chocolate Caramela

Para quem se pergunta se no México tem chocolates finos, a resposta é sim! Uma das marcas representantes dessa categoria é a premiada Caramela.

A marca oferece barras, bombons e pirulitos de chocolate, além de opções maravilhosas para presente, que contam até mesmo com frases personalizadas estampadas nos chocolates.

 

A história do chocolate começou no México

O povo Olmeca que habitava a região onde hoje é o território mexicano foi o primeiro da história a cultivar o cacau. Posteriormente, a civilização Maia deu continuidade ao plantio de “cacahuaquchtl”, como o fruto era chamado por eles.

O povo maia acreditava que aquela planta era dos deuses e seus frutos uma dádiva. Antes mesmo de saberem que dela se fazia chocolate, os maias usavam o cacau até mesmo como moeda de troca.

Apesar de não saber a receita do chocolate que hoje conhecemos, os maias foram os primeiros a criar uma bebida derivada do cacau, feita com suas sementes torradas, moídas e temperadas com pimenta. A bebida fermentada e amarga era adorada pelos reis e nobres do povo maia.

Com o desaparecimento do império maia, as civilizações seguintes, os toltecas e mais tarde os astecas, também mantiveram a ligação com a planta cacahuaquchtl. Mas foi só no período de colonização do México pelos espanhóis que o resto do mundo pôde conhecer o cacau e a bebida feita a partir dele. Em uma de suas expedições ao México, o espanhol Hernando Cortez descobriu o cacau e levou o fruto para a Espanha pela primeira vez.

Apesar de a bebida não ter agradado os espanhóis de imediato, Cortez incentivou a criação de enormes plantações de cacau no México. Tempos depois, os espanhóis juntaram adoçantes à bebida original e finalmente ela caiu no gosto dos europeus.

Foi então que para facilitar o transporte e a confecção da bebida na Espanha, o cacau começou a ser compactado em tabletes. No século XVII a bebida de cacau se popularizou entre os franceses, fazendo com que um deles inaugurasse a primeira loja especializada em Londres, na Inglaterra.

Foi lá que usaram pela primeira vez uma máquina a vapor que esmagava as sementes de cacau em maior quantidade, permitindo a produção dos tabletes em grande escala. Porém, o chocolate como conhecemos hoje só existe graças ao holandês Conrad Van Houten, que criou uma prensa hidráulica para separar de um lado a manteiga de cacau e do outro a massa.

Algum tempo depois, o suíço Daniel Peter tentou insistentemente adicionar leite ao chocolate, mas sem sucesso nos resultados. Prestes a desistir, compartilhou o seu problema com Henry Nestlé, então produtor de leite condensado, e decidiram acrescentar esse ingrediente ao chocolate. A combinação deu tão certo que até hoje a Nestlé é um dos maiores impérios do mercado de chocolates em todo o mundo.

 

Conheça também marcas de chocolate alemão, australiano e espanhol

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *